terça-feira, 15 de março de 2011


Principais características deste blog:
- imparcialidade total;
- preocupação com a veracidade dos fatos.
Contraindicações:
- jamais consultá-lo após as refeições;
- impróprio para pessoas depressivas.
IMPORTANTE:
Fiquem atentos para os próximos artigos, pois devido a mediocridade da nossa classe política, a matéria-prima para elaborá-los é farta.

A JUSTIÇA NO BRASIL É LENTA, SERÁ MESMO?
No Brasil costuma-se dizer que a justiça é lenta, na maioria das vezes sim, mas nem sempre.
Vejamos como exemplo o caso de Paulo Maluf.
Nas eleições de 2010, Maluf foi eleito deputado federal por São Paulo, com 497.203, o terceiro mais votado. No entanto, com base na lei da Ficha Limpa, cujo nome mais apropriado seria Ficha Suja, ele não poderia assumir o cargo, pois entre outros tantos processos e outras tantas acusações, consta a denúncia e a acusação de superfaturamento na compra de frangos para a merenda escolar quando foi prefeito de São Paulo(1992/1996), escândalo este denominado na época de “frangogate”. Por essa apropriação indébita, a justiça o condenou a devolver R$ 21,7 milhões aos cofres públicos.
Vejamos a rapidez com que agiu a “justiça” neste caso:

· em l3 de dezembro de 2010, por decisão da 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo ele foi absolvido da acusação. Segundo o desembargador Nogueira Diefenthaler, não houve prova de dolo ou de culpa grave, ou seja, desviar verba da merenda escolar, destinada a alimentar crianças carentes não caracteriza culpa grave. Como deve ser classificado esse ato então?;
· em 16 de dezembro de 2010, o ministro Marco Aurélio Mello, do Tribunal Superior Eleitoral autorizou que Paulo Maluf fosse diplomado deputado federal. Vale lembrar, no entanto, que Paulo Maluf foi padrinho de casamento de Fernando Collor de Mello, que quando exerceu a presidência da República(1990/1992), num ato de nepotismo indicou seu primo, Marco Aurélio Mello para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Acho que com esse esclarecimento as coisas ficam inteligíveis, ou não?
· em 17 de dezembro de 2010 Maluf foi diplomado na Assembléia Legislativa de São Paulo, como deputado federal. Diz a verdade: a “justiça” brasilleira, é ou não eficiente quando quer?

Vale lembrar, no entanto, que este mesmo Tribunal Superior Eleitoral e o Supremo Tribunal Federal não tiveram o mesmo empenho ou interesse em votar o projeto de origem popular “Ficha Limpa”, permitindo que “Fichas Sujas” concorressem às eleições de 2010. Afinal, para quem trabalham, quem os pagam e de que lado eles estão? Quero deixar claro, que 40% do STF deve ser colocado no paraíso, mas 60% deve ser colocado no inferno, sem nem mesmo ter a chance de passar pelo purgatório.Que fim poderia ter aqueles que permitem liberdade à “pessoas” como Paulo Maluf, Antônio Marcos Pimenta Neves e Roger Abdelmassih? No caso de Maluf, sua fama é global, seu nome consta na lista da Interpol. Esse “cidadão não pode por seus pés nem no Paraguai, se o fizer será preso. Aquilo que o mundo todo sabe, só a “justiça” brasileira ainda não sabe, ou faz de conta não saber.
Para concluir, deixo duas frases de Bob Dylan para reflexão.


“Para viver fora da lei, você precisa ser honesto."

“Roube pouco que eles o colocarão na cadeia
Roube muito que eles o farão um rei."

      FERRO NELES

Em entrevista concedida em 15 de março de 2011, o Ministro do Trabalho Carlos Lupi (PDT), ao ser perguntado sobre os efeitos da tragédia no Japão para o Brasil, fez o seguinte comentário:
“Eu acredito que acaba afetando inicialmente, por causa da grande tragédia que foi: a diminuição da produção industrial, a questão dos cortes de energia, mas por outro lado, vai se construir praticamente boa parte do país, então, com isso, vai se ter “nova” demandas para muitos produtos que o Brasil é exportador e é dos maiores “exportador”, continuando a produzir minérios, cimento e alimentos. O Brasil vai acabar, apesar de não desejarmos essa tragédia “pá” ninguém, no final das contas, não tendo prejuízos, até ganhando um pouco."
Observem a coerência do comentário com o momento atual vivido pelo povo japonês. A falta de concordâncias e de coerência textual, isso, sem contar o horror na dicção, que não pode ser observada num texto escrito: parecia que o ministro estava embriagado.
É fácil de se observar que o ministro é totalmente desprovido de inteligência e de intelectualidade, pior ainda, desprovido de racionalidade, agindo meramente por instinto.
É um absurdo que um “cidadão” com este faça parte do alto escalão do governo, mesmo pertencendo a um partido da base aliada deste governo.
Eu, assim como grande parte do povo brasileiro, nos sentimos envergonhados pelo comentário proferido pelo ministro e estamos solidários com a situação do povo japonês.
Ainda sobre o comentário do ministro, ele pode ser resumido, infelizmente, de acordo com o título desse texto: FERRO NELES, pois o Brasil é um dos maiores produtores e o maior exportador de minério de ferro do mundo, sendo o Japão um grande importador desse produto brasileiro. Entenderam o porquê da sutileza do ministro?


MUITAS LEIS, NUM PAÍS SEM LEI
O Brasil tem a terceira Constituição com o maior número de artigos no mundo, depois da Índia e da Venezuela. No entanto, grande parte destas, são meramente teorias, que nunca foram ou serão praticadas, principalmente quando se trata de punir poderosos (políticos, empresários e magistrados). Quando praticadas, elas tendem a punir os justos, humildes e inocentes, enquanto que os poderosos contam com a impunidade. Se as leis fossem simplesmente aplicadas justamente, não teríamos advogados melhores ou piores, bastava conhecê-las e defendê-las, para que fossem por seus superiores, apenas aplicadas.
Quando a lei interessa aos humildes, aos justos e aos desfavorecidos, a justiça é lenta, chegando a ser rastejante. No entanto, quando é para favorecer os poderosos, independentemente de culpa ou não, ela se mostra veloz como um raio, podendo ultrapassar a velocidade da luz.
Já vi vários casos de humildes implorando, clamando por justiça, pois sabem o quanto ela lhes é distante. Por outro lado, é muito comum presenciarmos poderosos (corruptos e assassinos) dizendo sorridentes acreditar na justiça, pois sabem que ela sempre esteve e sempre estará ao lado daqueles que representam a escória da sociedade, daqueles que se encontram em estado de putrefação moral.
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo aos brasileiros e estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade... .


DITADURAS LÁ, DEMOCRACIA CÁ
O ano de 2011 vai ficar para sempre na história. Fatos inimagináveis marcaram seu início, envolvendo países do norte da África e do Oriente Médio.
Ditadores corruptos e sanguinários, que se mantinham há décadas no poder, caíram, encurralados por revoltas sociais. Os que não caíram, foram obrigados a ceder, fazendo concessões ao povo que jamais imaginavam.

Esses ditadores se mantiveram no poder por meio da repressão e da intimidação que eram impostas ao povo.

Ao contrário do regime político desses países, vivemos no Brasil um regime democrático, que legitima o poder arbitrário e a corrupção por meio do voto, isso porque, a lei nesse país está quase sempre a serviço dos poderosos, independentemente do que fazem ou como agem.
Hoje, mais do que nunca, uma frase resume bem o Congresso Nacional brasileiro. “Se cobrir vira circo, se cercar vira hospício."
A reforma política em trâmite no Congresso Nacional, nem de longe, pretende por fim ao voto obrigatório, pois dele dependem os corruptos para se perpetuarem no poder. Será que a não obrigatoriedade do voto continuaria a levar os inconsequentes e os abestados às urnas? Certamente não, e seus beneficiários sabem disso.
No norte da África e no Oriente médio, foram necessárias revoltas sangrentas e muitas mortes para a retirada de corruptos e sanguinários do poder, enquanto que aqui, em vez de tirá-los, eles são colocados no poder por meio do voto popular.
Um povo politizado e consciente não precisa de Ficha Limpa contra políticos corruptos e assassinos, pois a defesa é o próprio voto consciente.
É comum neste país culpar os pobres por elegê-los, como que se eles fossem os únicos culpados por toda a desgraça. Quanto a isso, posso afirmar que a ignorância e a estupidez pairam em todas as camadas sociais deste país, do mais paupérrimo ao mais rico, pois não se deve confundir pobreza com ignorância, nem riqueza com intelectualidade, pois são conceitos desassociados, sem nenhuma relação ou coerência.
Para refletir:
Lá vou eu de novo
Um tanto assustado
Como Ali-Baba
E os quarenta ladrões
Já não querem nada
Com a pátria amada
E cada dia mais
Enchendo os meus botões
Abre-te Sésamo
(Raul Seixas – Abre-te Sésamo)

Que falta nesta cidade?................Verdade
Que mais por sua desonra?...........Honra
Falta mais que se lhe ponha..........Vergonha
O demo a viver se exponha,
por mais que a fama a exalta,
numa cidade, onde falta
Verdade, Honra, Vergonha.
(Gregório de Matos – Epílogos)
Comentário:
O poema de Gregório de Matos foi escrito no século XVII, época em que o Brasil era explorado, saqueado e pilhado pelos portugueses. Hoje, o Brasil e os brasileiros são explorados, saqueados, pilhados e humilhados pelos próprios brasileiros, fazendo do cenário e da realidade atual ainda mais tristes de deprimentes.

NATIMORTO
O Prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, resolveu ressuscitar a antiga sigla PSD (Partido Social Democrático), fundado primeiramente em 1945, pelo general Joaquim de Magalhães Cardoso Barata, no estado do Pará. No início, o partido agrupava fazendeiros e antigos coronéis, depois passou a fazer alianças com vários partidos.
O novo PSD de Kassab parece também querer reviver a prática política do passado, isto é, apoiar vários partidos, independentemente da posição ideológica de cada um. A sigla PSD de Kassab deveria ter outro significado, como: Partido Social dos Desesperados.
Em 2007, quando o Antigo PFL (Partido da Frente Liberal) trocou seu nome para DEM (Democratas), ficou claro que o partido atravessava forte crise e desgaste político. A nova sigla tentou rejuvenescer o partido, com a entrada de José Roberto Arruda, Gilberto Kassab, entre outros. Ao contrário do que se pretendia, esses novos integrantes em nada contribuíram para melhor: o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda teve o seu nome envolvido em cobrança de propina, renunciou ao cargo para fugir da cassação; Kassab é próprio fracasso em pessoa, não realiza obras, nada faz pela educação, em resumo, sua administração consiste apenas em inventar novas cobranças (Controlar), elevar a tarifa de ônibus acima da inflação e antecipar a cobrança de IPTU de residências modificadas ou ampliadas. Enquanto a cidade vive um caos total (sujeira, abandono, asfaltos e calçadas esburacadas), o prefeito vive em reuniões com políticos, cujo tema principal é o novo partido, que com certeza está fadado ao fracasso, como ocorreu com o DEM, que ele mesmo ajudou a destruir.
Vale lembrar que o prefeito Kassab é pago para administrar a cidade de São Paulo, e não para usar o tempo de trabalho para criar um novo partidinho, que como sugere o título acima, não chegará a ter vida.
Políticos como Kassab devem aprender que o problema não está no partido, mas nas pessoas que o compõem. Não adianta criar novos partidos, se eles vêm recheados de antigas figuras já abominadas por grande parte da sociedade.
Caro leitor, para finalizar, quero pedir insistentemente... JAMAIS VOTE NOVAMENTE EM GILBERTO KASSAB!
Para refletir:
“Sabe, às vezes satã vem com um homem de paz."
Man of peace – Bob Dylan
“Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades."
O tempo não para - Cazuza

Muito barulho por nada.

ENXUGANDO GELO
A Prefeitura do Município de São Paulo pretende dar início aos trabalhos de reurbanização do centro, que inclui a Praça da Luz e Santa Ifigênia. Mesmo ainda no papel, o projeto já custou aos cofres públicos a cifra de R$ 12 milhões.
O projeto de reurbanização do centro inclui demolições mediante indenizações, construção de praças, moradias, ciclovias, calçadões, entre outros.
Atualmente, essas áreas estão totalmente tomadas por drogados, traficantes, marginais e prostitutas. Também se encontram quase que totalmente abandonadas pelo poder público, onde pedestres e comerciantes são ameaçados e roubados o tempo todo. Aliás, esses acontecimentos não ocorrem apenas nessas áreas, eles estão presentes por todo o estado e por todo o país.
Muito tristemente, nosso país está abandonado pelo poder público, em todas as esferas, criando condições para que a marginalidade, a violência, o tráfico e a prostituição estejam presentes por toda a parte.
A reurbanização pretendida pela Prefeitura de São Paulo somente seria positiva se acompanhada de cidadania e educação, coisas que não são possíveis da noite para o dia. Prova disso, é a urbanização feita em várias favelas, hoje comunidades. Após a demolição dos barracos foram construídas praças, quadras e áreas arborizadas, além de playground para as crianças menores. Em muitas dessas áreas, a destruição, pelos próprios moradores do que foi feito é visível. Em muitas delas, é comum a convivência de crianças juntamente com drogados e traficantes. Nelas, a presença do poder público ocorreu apenas durante a construção, depois, este se tornou ausente totalmente.
Formar cidadãos é algo lento, mas que tem de começar, do contrário, tudo o que for feito será em vão, como enxugar gelo. Cidadão educado não cospe no chão, não faz suas necessidades fisiológicas nas ruas, respeita o seu próximo, o patrimônio público e o meio ambiente.
Os políticos costumam dizer a palavra povo de forma pejorativa, no entanto, esse povo é reflexo dos políticos. Vale observar, que nesse caso, para ambos, o termo correto seria massa.
Certo dia, ao assistir a um episódio do seriado Simpsons, ouvi de Homer Simpson a seguinte frase: “Aprendemos a aceitar o que não podemos mudar, e roubar tudo o que for possível." Essa frase resume muito bem o caráter e a atitude de grande parte da sociedade brasileira, incluindo pessoas do povo e do meio político, mas felizmente ainda temos pessoas decentes em ambos os lados.
Antes de desperdiçar dinheiro público em construções desnecessárias e inúteis, melhor seria investi-lo em educação para a formação de cidadãos.
"É preciso cultura pra cuspir na estrutura".
Marcelo Nova

CAOS TOTAL
Em entrevista concedida ao jornalista Alexandre Garcia, no Telejornal Globo News (02/02/11), o atual presidente da Câmara dos Deputados Marco Maia (PT-RS), onde também se encontrava José Sarney (PMDB-AP), atual presidente do Senado Federal, ao ser questionado sobre o aumento nos ganhos dos Deputados Federais, de R$ 16.000,00 para os atuais R$ 26.000,00, disse ser este justo, pois estes tomam decisões importantes para todo o país, portanto merecem ser melhor remunerados.
A declaração de Marco Maia me levou a fazer a seguinte indagação: se um Deputado Federal ignorante, desconhecedor dos fatos internacionais e nacionais que os cercam, desconhecedor da realidade política, econômica, social, cultural, ambiental, tecnológica do seu próprio país, merece ser melhor remunerado, o que dizer então de um bom professor e de um bom médico? Estes com certeza seriam impagáveis, pois deles dependem a saúde mental, intelectual e física de toda a sociedade.
Quanto à grande maioria dos políticos, o mesmo não pode ser dito, pois estes, além de ignorantes, também são corruptos, e movidos pela ambição, pela indiferença, e pelo individualismo arrastam todo o país e toda a sociedade para o abismo. Eleitos e pagos pela sociedade, deveriam legislar para a maioria, mas ao contrário, legislam em causa própria.
Recentemente, o vereador pela cidade do Rio de Janeiro, Leonel Brizola Neto (PDT-RJ), também justificou o aumento concedido aos vereadores, que atingiu a cifra de R$ 15.000,00, dizendo que esta é a melhor forma de um político não ser atraído para a corrupção. Está foi na verdade uma declaração vergonhosa.
Contra os parasitas, ignorantes, corruptos e oportunistas cabe a conscientização do povo, para que na hora do voto essa escória seja excluída do meio político, em prol de mais decência, mais educação, mais saúde, mais segurança, mais respeito ambiental, mais justiça social, enfim, MAIS BRASIL PARA OS BRASILEIROS!
PARA REFLETIR
Que o mundo foi e será uma porcaria eu já sei
Em 506 e em 2000 também
Que sempre houve ladrões, maquiavélicos e safados
Contentes e frustrados, valores, confusão
Mas que o século XX é uma praga de maldade e lixo
Já não há quem negue
Vivemos atolados na lameira
E no mesmo lado todos manuseados
Hoje em dia dá no mesmo ser direito que traidor
Ignorante, sábio, besta, pretensioso, afanador
Tudo é igual, nada é melhor
É o mesmo um burro que um bom professor
Sem diferir, é sim senhor
Tanto no norte como no sul
Se vive na impostura e outro afana em sua ambição
Dá no mesmo que seja padre, carvoeiro, rei de paus
Cara dura ou senador
Que falta de respeito, que afronta pra razão
Qualquer é um senhor, qualquer é um ladrão
Misturam-se Beethoven, Ringo Star, e Napoleão
Pio IX e D. João, John Lennon e San Martin
Como igual na frente da vitrine
Esses bagunceiros se misturam à vida
Feridos por um sabre sem ponta
Por chorar a Bíblia junto ao aquecedor
Século XX “cambalache”, problemático e febril
O que não chora não mama
Quem não rouba é imbecil
Já não dá mais, força que dá
Que no inferno nos vamos encontrar
Não penses mais, senta-te ao lado
Que ninguém mais se importar se naceste honrado
Se é o mesmo que trabalha noite e dia com um boi
Se é o que vive na fartura, se é quem mata, se é o que cura
Ou mesmo fora da lei
Cambalache – Enrique S. Discepio – Vers.: Raul Seixas

E AGORA, JOSÉ?
O ex-presidenciável José Serra usou de todos os artifícios na tentativa de derrotar sua adversária, a candidata Dilma Roussef.
No segundo turno, em especial, partiu para o tudo ou nada. Prometeu o impossível, como desmatamento zero na Amazônia, pavimentação da transamazônica, salário mínimo de R$ 600,00, entre outros. Buscou e aceitou apoio de todo tipo de político e de todos os líderes “religiosos." Era visível o desespero do candidato, que poderia ser traduzido numa frase de Nicolau Maquiavel: “Os fins justificam os meios."
Era patético vê-lo se declarando professor, declaração esta desprezível para os bons professores. Era hilário ouvi-lo descrevendo a sua origem humilde. Era desprezível ouvi-lo falar em segurança, se foi justamente durante o seu governo que ocorreram confrontos sangrentos entre policiais civis e militares motivada pela falta de diálogo por parte do governador.
Com todas essas mentiras, quem ele pretendia enganar? Certamente a ele próprio, aos eleitores medíocres e a classe média paulistana que come mortadela e arrota peru.
Em entrevista à revista Veja, edição 2161 – ano 43 – nº 16, de 21 de abril de 2011, Serra disse: “Eu me preparei a vida inteira para ser presidente." Felizmente não foi desta vez, e certamente não será da próxima. Se serve de consolo, as eleições municipais estão chegando.
JOSÉ
E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu
a noite esfriou
e agora, José?
...
(Carlos Drummond de Andrade)

A Revolução dos Bichos
Como historiador, conhecedor da história deste país, desde seus primórdios até os dias atuais, confesso nunca ter visto algo tão descarado, horripilante, imoral, inaceitável, esdrúxulo, desprezível, vergonhoso e patético, como passei a presenciar na administração petista e de seus aliados políticos.
A administração petista pode ser sintetizada por meio da seguinte trilogia: Brasil, República de Bandidos; “A República dos Padrinhos”(Obra de Gilberto Dimenstein); e Brasil, Paraíso de Banqueiros.
Nunca antes na história deste país, houve tanta impunidade e tanta infestação de pessoas de mau caráter na administração pública, da esfera federal até os municípios. O mau caratismo se tornou generalizado em nosso país, como um câncer em estado bem avançado. Como defender moralidade para a sociedade, se a imoralidade está na ordem do dia?
A farra petista e de seus aliados, fez com que eu relesse a obra “Animal Farm”, de George Orwell - traduzida para a língua portuguesa como a Revolução dos Bichos, pois esta guarda muita semelhança com o momento atual no Brasil.
Na obra de Orwell, os bichos da Granja Solar, liderados pelos porcos, expulsaram o proprietário da Granja -Sr. Jones - e sua esposa, assumindo o comando, sob as ordens do porco chamado Mestre. Este, por sua vez, passa a subjugar e explorar os demais animais. Antes, os porcos criticavam qualquer coisa que andasse sobre duas pernas, que segundo eles era sinal de perigo, portanto considerado inimigo. Porém, em pouco tempo, os porcos passam a andar sobre duas pernas, num sinal claro de superioridade em relação aos demais animais (qualquer semelhança com o momento atual é pura coincidência!).
Logo após a expulsão do Sr. Jones da Granja, um dos porcos, chamado Bola de Neve escreveu os sete mandamentos que deveriam ser seguidos por todos os animais da Granja do Solar. “Eis o que dizia o letreiro:
1." Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupa.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais."
Com o passar do tempo, o letreiro passou a ter um único mandamento, cuja inscrição era a seguinte:
“TODOS OS ANIMAIS SÃO IGUAIS, MAS ALGUNS ANIMAIS SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS.”
Este único mandamento foi escrito pelo Mestre em substituição aos demais.
A obra de George Orwell foi escrita em 1945, numa clara alusão à Revolução Russa de 1917, porém seu conteúdo é adaptável à realidade política atual em nosso país.

Como educador, procuro incutir em meus alunos a importância dos estudos para a formação, tanto intelectual quanto moral, do cidadão. Por outro lado, a porcada imoral passa outra idéia à sociedade, como a do vale tudo, a de que os fins justificam os meios, a de que sem estudo se chega lá, entre outros tantos maus exemplos.
O líder da porcada petista, o Mestre Lula, é o pior exemplo a ser seguido neste país, tanto no aspecto moral quanto no intelectual. Em relação a esse segundo aspecto especificamente, pode-se afirmar que o Mestre Lula é órfão de pai e mãe. Nunca antes na história deste país, um governante foi tão estúpido intelectualmente e tão descarado moralmente, neste último caso, especialista em blindar políticos corruptos, principalmente petistas e peemedebistas. Nunca um retirante da seca nordestino defendeu com tanta veemência coronéis corruptos do nordeste brasileiro.
Certa vez, ouvi o Mestre falar que gostaria de ter feito Economia, na verdade, acho que ele deveria ter feito Direito, para assim exercer a profissão de advogado de porta de cadeia. Com certeza ele se sairia muito bem.
A administração petista também se especializou em fazer caridades, a exemplo do Bolsa Família, que se tornou o principal cabo eleitoral para a porcada. No entanto, enquanto distribuem miséria para o povo, com o dinheiro do próprio povo, a porcada petista e seus aliados embolsam milhões, oriundos da corrupção
Quando os petistas conquistaram o poder, cheguei a pensar, e até a ter certeza, de que economicamente seria um desastre, mas também cheguei a pensar, e até a ter certeza, que seria um governo moralmente exemplar – quebrei a cara-! Os “Metralhinhas” do passado ficaram para trás, pois foram superados pelos “Metralhas” do presente, bem mais vorazes em relação à apropriação do dinheiro público.
Voltando ao Mestre da porcada, este após deixar o poder passou a dar palestras para executivos - pior que isso é verdade...
Sempre soube que a elite endinheirada brasileira é pra lá de medíocre (salvo raríssimas exceções), mas que gostasse de jogar dinheiro fora, isso eu jamais imaginei. Mas, por outro lado, é de se entender como essa elite pode pagar tanto por tão pouco: só pode ser com interesse ao tráfico de influência que o Mestre ainda goza junto à atual administração petista.
Vejamos agora algumas das pérolas e das gafes proferidas e cometidas pelo Mestre, que é tão bem pago por suas palestras.
· “Isso incomoda gente demais pelo Brasil afora porque não tem nada que cause mais inveja a um ex-marido do que ele ver a mulher dele mais feliz do que quando esteve casada com ele." (Só para contextualizar a fala, Lula referia-se ao Bolsa Família, e no palanque estava Marta Suplicy e seu ex-marido Eduardo Suplicy!)
· “Eu durmo com minhas cabeças tranquilas”. Comentário: Certamente que sim, já que as duas funcionam por instinto.
· todo e qualquer brasileiro é favorável ao combate à corrupção nos outros, não nele." Comentário: Ele quis dizer que todos os brasileiros são corruptos, e que apenas veem corrupção nos outros. Ele nos ofendeu.
· “Quando terminar meu mandato eu não vou para a França, nem para os Estados Unidos fazer pós-graduação, quando eu terminar o meu mandato eu vou para São Bernardo do Campo para conviver com meus companheiros metalúrgicos, onde eu nasci e, certamente, é para onde eu vou voltar." Comentário: Com certeza ele não vai fazer pós-graduação em lugar algum, para isso é preciso ter ensino médio completo e curso de graduação. Aliás, ele não sabe nem onde nasceu.
· “O continente sul-americano e o continente árabe não podem mais, no século XXI, ficar à espera de serem descobertos." Comentário: Discurso proferido pelo Mestre em visita à Síria. Percebe-se que o Mestre é fera em história e geografia. Cultura invejável!!!
· Há pouco mais de dois anos um país importante como a Argentina sequer tinha visão de eleger um presidente da república, porque se imaginava que o Menem voltaria a ser presidente. O que aconteceu na Argentina é que o companheiro Menem assumiu a presidência da Argentina e este está mudando não apenas a relação do governo com seu povo, mas está contribuindo para mudar a relação entre os Estados Unidos da América Latina." Na época do discurso (2005), o presidente da Argentina era Nestor Kirchner. Observem também a sua maestria em articular as palavras. Observem que ele criou um novo país - dá a entender que ele estava embriagado.
· “Não pensem que vocês fizeram pouca coisa na história da humanidade, não. Possivelmente o cidadão que votou em mim não tem a consciência do gesto dele num país importante como o Brasil." Comentário: Se tivesse consciência, estaria amargamente arrependido da “merda” que fez.
· Por muitos anos o Brasil não pôde sequer conversar com a Líbia porque os americanos não gostavam dos libaneses." Comentário: Quem nasce na Líbia é de nacionalidade líbia, e não libanesa. Que falta faz uma escola!
· Este desastre, que vitimou tantas mulheres, homens e crianças, é um alerta para que a gente comece a olhar com mais carinho para a natureza. Muitas vezes, nós a desprezamos e, de vez em quando, ela se revolta. E quando ela se revolta, não pede licença, não diz onde vai acontecer e acontece." Comentário: O Mestre se referia a um maremoto ocorrido na Ásia, insinuando que estes são provocados por fatores climáticos. Santa ignorância!
· O Brasil só não faz fronteira com o Chile, Equador e Bolívia." Comentário: A Bolívia é o país de maior fronteira com o Brasil na América do Sul: são 3.126 km de fronteira entre os dois países. Santa estupidez!
· “Cumprimento o presidente da Mercedes-Benz."
“Pois quero dizer na frente do presidente da Mercedes-Benz(...)." Comentário: Na verdade, o Mestre discursava para o presidente da General Motors, Richard Wagoner, no Palácio do Planalto, em 6/2/2004.
· “O Atlântico é apenas um rio caudaloso, de praias e areias brancas, que une os dois países”. Comentário: Discurso feito pelo Mestre no Gabão. Desta vez o mestre se superou!
· “Não é mérito, mas, pela primeira vez na história da República, a República tem um presidente e um vice-presidente que não têm diploma universitário. Possivelmente, se nós tivéssemos, poderíamos fazer muito mais." Comentário: Certamente que sim, a começar por não falar tanta besteira. Este comentário é restrito apenas ao Mestre.
· Um brinde à felicidade do presidente Al-Assad." Comentário: Al-Assad, presidente da Síria, é praticante do islamismo. Entre outras coisas, essa religião condena o alcoolismo.
· Quando Napoleão visitou a China, ele cunhou uma frase famosa. Ele disse: A China é um gigante adormecido. No dia em que acodar, o mundo vai tremer." Comentário: Napoleão, nem em sonho esteve na China. Que imaginação fértil!
· Todos os brasileiros ‘tem motivo para se sentir otimista’. As perspectivas só são ruins para os desempregados." Comentário: Que tal uma tese de doutorado sobre a conclusão do Mestre?
· “Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta." Comentário: Confesso que essa observação do Mestre me tocou profundamente, pois me fez lembrar que a minha santa mãezinha também nasceu analfabeta.
· “Em qualquer lugar do mundo que eu vou, eu tenho que levar flores ao túmulo do herói nacional. No Brasil não tem." Comentário: Nossa história está repleta de heróis nacionais. Estes são mencionados e estudados nas escolas, locais estes que o mestre passou longe. Vale lembrar que o Mestre ruminou essas palavras durante o lançamento da campanha “ O melhor do Brasil é o brasileiro”.(16/07/04)
· “O governo tenta fazer o simples, porque o difícil é difícil." Comentário: Muito profundo!
· “Pelotas é exportador de veado." Comentário: Esse comentário foi feito pelo Mestre na cidade de Pelotas. Que sutileza!
· “Todos vocês vão competir a uma vaga para Atenas? E quem acha que vão ganhar? Levanta a mão aí para eu ver." Comentário: O Mestre falava aos atletas que participariam dos jogos paraolímpicos de Atenas. Essa foi demais, estupendo!
· Um livro para uma criança, é como uma esteira para alguém da nossa idade. Dá uma preguiça ‘disgraçada’, mas depois de uns vinte minutos a gente vê como é importante. Comentário: O mestre fez uma analogia perfeita: livro com esteira, tudo a ver! Esta pérola foi proferida durante abertura da Feira do Livro(RJ).
· Não tem chuva, não tem geada, não tem terremoto, não tem cara feia, não tem Congresso, não tem Judiciário – só Deus será capaz de impedir que a gente faça esse País ocupar o lugar de destaque que nunca deveria ter deixado de ocupar." Comentário: Alucinação total!
· “Há males que vêm para o bem." Comentário: Essa frase foi proferida pelo Mestre durante encontro com Vladimir Putin. O mestre referia-se ao desastre ocorrido na Base de Alcântara(MA), onde mais de 20 especialistas morreram! Comentário. Sutil como um mamute!
· “Todo mundo tem o direito de ser contra, a favor ou muito pelo contrário." Comentário: Simplesmente profundo!
· “Espero vê-lo novamente. O Celso (Amorim) vai organizar um jantar meu com os embaixadores da União Européia." Comentário: O Mestre fez o convite ao embaixador da Noruega, no entanto, este país não é membro da União Europeia.
· “Companheiro Wellington(Wellington Dias, governador do Piauí), você veio aqui em Brasília com medo de morrer afogado lá no Piauí?" Comentário: As enchentes deixaram 117 mil desabrigados no estado. O comentário do Mestre foi no mínimo desprezível.
· Foi uma surpresa. Quem chega em Windhoek não perece que está num país africano. Poucas cidades do mundo são tão limpas, tão bonitas arquitetonicamente e tem um povo tão estraordinário como tem essa cidade." Essa frase foi proferida pelo Mestre quando deixava a capital da Namíbia. Comentário. Pobre, mas limpinha!
Observação final: Confesso que o Mestre tornou minhas aulas de história e de atualidades bem mais divertidas.
Diante dessa enxurrada de imbecilidades, fica difícil entender que alguém em sã consciência pague por uma palestra do Mestre. Como já disse, a elite endinheirada brasileira é medíocre intelectual e culturalmente, mas gastar fortunas para participar de uma palestra do Mestre, aí já é demais. Nesse caso, só há uma explicação: interesse em seu tráfico de influência. Em vez de desperdiçar dinheiro com besteiras inúteis, a elite endinheirada poderia melhorar as condições de ganho de seus funcionários, em especial o setor da construção civil, que ainda trata seus funcionários como escravos.
Além dos adjetivos já atribuídos até aqui ao Mestre, um outro não pode deixar de ser acrescentado: o Mestre também é um grande oportunista. Constantemente o vemos se gabando das conquistas econômicas na administração petista, quando, na, verdade, colhe os frutos dos acertos e erros dos governos do passado. O que se observa hoje na economia brasileira teve início em 1991, com o Plano Collor, que entre outras metas abriu o mercado brasileiro às importações e deu início às privatizações. A abertura de mercado, embora com dose errada, pois na verdade escancarou o mercado à entrada de produtos estrangeiros, prejudicando micros, pequenos e médios empresários, teve o objetivo de baratear e modernizar a produção interna. As privatizações por sua vez, visavam tirar um pesado fardo das costas do governo, pois davam prejuízo e serviam como verdadeiros cabides de emprego. Imagino hoje essas estatais nas mãos da administração petista: seriam verdadeiras árvores de natal, com um bando de aliados, oportunistas e corruptos nelas dependurados.
As iniciativas do Plano Collor tiveram continuidade nos governos seguintes, de Itamar Franco (1992/1995) e de Fernando Henrique Cardoso (1995/2003). A abertura de mercado e as privatizações continuaram, cujos objetivos eram o controle da inflação e a diminuição nos gastos públicos, embora as privatizações se configurassem em doações. Também houve o equívoco da dolarização, contribuindo para as constantes quedas nas exportações e para a concorrência de produtos externos no mercado interno. Com isso, a concorrência com os produtos externos se agravou tanto externamente como internamente, cujo mal maior foi o aumento no desemprego, além dos constantes saldos negativos na balança comercial brasileira. Quero ressaltar que não estou defendendo ninguém, apenas estou procurando fazer justiça, pois foi graças aos erros e acertos do passado que chegamos ao relativo conforto de hoje, que nem de longe é mérito da administração petista.
Falando em defender governos passados, em especial Fernando Collor de Mello, no que dependesse de mim, ele teria sido arrebatado deste mundo no último mês de Maio (2011).
O Mestre adora fazer analogias entre política, economia e futebol, sendo assim, também vou fazer a minha. O Mestre pode ser considerado o Zagalo da Seleção Brasileira de 1970, que pegou das mãos de João Saldanha um time treinado e pronto para conquistar a Copa de 1970 no México.
Falando em analogia, a última do Mestre (26/05/11) foi comparar Pelé, o rei do futebol, com Palocci, segundo ele, o rei da economia brasileira. No caso de Palocci, isso não foi uma analogia, mas uma apologia ao crime.
Ainda sobre Palocci, recentemente a porcada petista do Senado esteve reunida na pocilga para ouvir dele explicações sobre o seu enriquecimento rápido, em apenas quatro anos. No final, a porcada saiu satisfeita com as explicações dadas por ele. Quanto a isso, quero dizer que Palocci ocupa um cargo público, e que, portanto, deve explicações à toda a sociedade, e não apenas a um grupelho de 15 petistas.
A atitude da porcada petista foi uma clara demonstração de desprezo com a sociedade: os porcos se consideram acima dos demais animais.
Enquanto a farra do boi e a impunidade imperam no país, escolas e hospitais caem aos pedaços, pacientes padecem por falta de leitos e medicamentos, crianças ficam sem estudar e sem merenda escolar.
É muito triste ver um país tão grande, tão bonito, que tem tudo para ser a maior nação do mundo, nas mãos de bandidos inescrupulosos e sádicos.
Sem modéstia, acho que desta vez eu me superei.
E para finalizar, que tal um sambinha para descontrair?
DISPUTA DE PODER
É RUIM
DE SEGURAR
ASSIM NÃO DÁ, É PADECER
DO JEITO QUE ESTÁ
VAMOS PAGANDO PRA SOBREVIVER
SE TROCOU NÃO MUDOU NADA
JOGO DE CARTA MARCADA
É SÓ PERDER
A PANELINHA ARMADA
TEM MUITA BRASA
E NINGUÉM BOTA PRA FERVER
ISSO AQUI TÁ BRINCADEIRA
OU SERÁ QUE NÃO ESTÁ
BRASILEIRO, BRASILEIRA
TÁ NA HORA DE GRITAR
CHEGA
DE LEVAR TANTA PORRADA
VAMOS VER SE A PAPELADA
DESSA VEZ É PRA VALER
CHEGA
TÁ VIRANDO SACANAGEM
AS PROMESSAS SÃO BOBAGENS
QUE SÓ FAZ ABORRECER
CANSADO
RASGO A FANTASIA
DESSA ANARQUIA
NA DISPUTA DO PODER
PIUÍ, PIUÍ, PIUÍ, PIUÍ (POIRE-POIRE)
EU QUERO VER ONDE ESSA ZORRA
VAI PARAR
(Almir Araújo, Marquinho Lessa, Hércules Correa, Balinha) – Ed. Warner/Chappell.
Intérprete: Simone

TODA RAÇA TEM A SUA PARCELA DE SUB-RAÇA
A
palavra sub tem o significado de “abaixo de” ou “inferior a”, como por exemplo: África subsaariana (Parte do continente africano localizado abaixo do Deserto do Saara, também chamada África Negra); Subcontinente Asiático (parte do continente asiático localizado no extremo sul do continente Asiático, englobando a Índia, o Paquistão, o Butão, o Sri-Lanka e Bangladesh); subsolo (abaixo do solo)...
A palavra sub-raça é um substantivo feminino. De acordo com com a nova regra ortográfica, quando o prefixo sub tiver como segundo elemento palavras iniciadas por b ou r deverá ocorrer o emprego do hífen.
A palavra sub também já foi utilizada para se referir a raça humana como forma para justificar o domínio de uma raça “dita” superior sobre a outra “dita” inferior. Essa falsa classificação, de caráter meramente ideológico sempre culminou em tragédias ou verdadeiros genocídios. Podemos citar como exemplo, o imperialismo europeu sobre o continente africano, do final do século XIX e início do século XX. Na época, o domínio e as atrocidades sobre as populações negras eram justificadas demagogicamente pelos brancos europeus como o “fardo do homem branco”, isto é, levar a civilização aos incivilizados, quando na verdade, seus objetivos reais eram de subjugar pessoas e explorar (pilhar) suas riquezas. Para isso, buscavam o apoio de grupos étnicos locais, que em troca de privilégios e proteção apoiavam os dominadores na dominação de seus semelhantes. Pode-se extrair, a partir daí, a origem do termo sub -raça – aquele que em prol de seus interesses individuais e mesquinhos passa a prejudicar toda uma coletividade, seja sua própria raça ou outras raças.
Os mesmos ingleses também foram em direção à Ásia, onde na China tentaram viciar os chineses com o ópio para assim facilitar a dominação do povo e o domínio comercial. Também dominaram a Índia, onde por décadas mantiveram a maioria do povo indiano sob seu jugo, tudo isso movido pela ambição, pelo individualismo, pelo desrespeito, cujo único objetivo era a supremacia comercial e econômica, cuja hegemonia os ingleses asseguraram para si até o final da Segunda Guerra Mundial. Contudo, não devemos condenar todo o povo inglês por essas atrocidades, pois certamente, nem todos concordavam ou estavam cientes dos fatos. Também não devemos condenar todo o povo alemão pelas atrocidades do nazismo, pois, certamente, muitos não concordavam com tudo aquilo e, se calados se mantiveram, não foi por conivência, mas por medo. Com isso, quero dizer que a sub-raça esta presente em todas as raças, aqueles que se dizem superiores, são na verdade inferiores – sua superioridade reside apenas na aplicação do medo, da injustiça, da mentira e da tirania. Todo aquele que usa seu tempo, que dedica a sua vida para o mau, para a mentira, para a injustiça, para prejudicar pessoas de bem é na verdade um expoente de uma sub-raça, que em vez de estar acima das demais camadas sociais, está, na verdade, mergulhado nas profundezas de um imenso abismo sem fim.
Deixando um pouco o passado de lado, e trazendo o problema para o presente, quero destacar, em especial, o Brasil.
Durante séculos, o Brasil foi dominado por uma elite portuguesa e por uma aristocracia também de origem portuguesa, sendo esta última mais duradoura, passando de rural, também a urbana. No início da colonização estas duas classes passaram a subjugar os nativos da terra. Os primeiros dominadores, visando mais acúmulo de riquezas, passaram a instituir o tráfico negreiro, com isso, além do ganho com a produção açucareira, também passaram a ganhar com o tráfico negreiro, que se constituiu numa importante fonte de renda para a Coroa e para os traficantes de escravos, tanto na economia açucareira como na cafeeira.
Estas elites durante muito tempo se consideraram superiores, não somente sobre os indígenas e negros, mas sobre todos aqueles que se encontravam inferiores economicamente, que independentemente de cor, religião ou raça eram colocados na base da pirâmide social, sem voz e sem direitos – todos, sem distinção, eram classificados como inferiores. Como prova disso temos o exemplo do Quilombo dos Palmares, que chegou a reunir cerca de vinte mil habitantes, entre negros, brancos e indígenas. Se o termo sub- -raça for aplicado com o seu devido valor, qual dessas esferas deveria ficar com esse título? Certamente os detentores do poder econômico, que na consolidação de seus interesses mesquinhos, escravizaram, mataram, torturaram, dizimaram, exploraram e excluíram milhões de seres humanos de seus direitos mais naturais, como o direito a vida, a liberdade e a dignidade. Quem nessa história toda pode ser classificado verdadeiramente como inferior? Dê você mesmo a resposta.
O Brasil é um país multirracial, com brancos, negros, asiáticos e indígenas, cada um com a sua parcela de sub-raça. Nessa classificação, a população branca sempre apresentou a maior cota, enquanto que os indígenas sempre apresentaram a menor.
Os indígenas tradicionais não maltratam, não escravizam, não exploram, não matam seus semelhantes. Não estupram seus semelhantes, muito menos suas crianças.
Os indígenas tradicionais não destroem suas florestas, ao contrário, procuram preservá-la tanto para a geração do presente como para as do futuro. Da natureza, retiram o necessário para o sustento diário, sem excessos e sem desperdícios. A terra é utilizada de forma racional, de modo a suprir apenas as necessidades diárias. O solo é sagrado, tanto para o repouso dos mortos como para a sobrevivência dos vivos. O rio é fonte sagrada de vida, sendo assim, jamais deverá ser poluído.
Por outro lado, os demais, em especial os brancos, matam, exploram, torturam, humilham e estupram seus semelhantes, sejam eles estranhos ou parentes. Poluem, degradam, desmatam tudo em nome do progresso, da ambição e do individualismo. Porém, os maiores expoentes de uma sub-raça são os corruptos, sejam eles de qual raça for. Enquanto se apropriam indevidamente do dinheiro público, milhões de pessoas ficam excluídas do direito a alimentação, a saúde, a educação, a segurança, a habitação, entre tantos outros. Estes, embora em sua maioria membros de uma elite política e econômica, são na verdade a pior espécie entre todas as espécies.
Num plano mais amplo, como classificar aqueles que jogam bombas em outros países, aqueles que vitimam milhões de pessoas à fome, à miséria, à degradação e à própria morte, seja atacando países estrangeiros, ou ainda pior, atacando seu próprio país e destruindo seu próprio povo?
Todo aquele, que na defesa de seus interesses mesquinhos age de forma a prejudicar a coletividade, é na verdade um extrato de uma sub-raça, não importando a qual raça pertença.
Para estes casos e exemplos mencionados, o substantivo sub-raça deve ser agregado a diversos adjetivos, tais como: irracionais; desumanos; injustos; insensíveis; inumanos; degradantes; escórias; asquerosos; acéfalos; entre tantos outros.




Para refletir:

"Os homens aprenderam a nadar com os peixes, a voar como os pássaros, mas não aprenderam a se amar como irmãos."
Martin Luther King Jr.

Meu Deus é a minha consciência e meus atos minha religião.
Francisco Carlos Aragon

"E, então, feliz natal
Para o negro e para o branco
Para o amarelo e para o vermelho
Vamos parar a luta."
John Winston Lennon

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas."
Martin Luther King Jr.

As borboletas vivem em média 45 dias, no entanto deixam um rastro de construção, alegria e beleza por onde passam, ao contrário de muitos seres humanos, que apesar da longa existência parecem inexistentes e quando se mostram existentes, melhor seria que nunca tivessem existido.


Francisco Carlos Aragon





No Fundo do Poço
Quem disse “pior que tá não fica”? ... Foi um abestado. Pior é que ficou. O governo de Dilma Rousseff já registrou dois escândalos, em pouco mais de seis meses, sendo um deles ligado diretamente ao seu principal ministro; outro, ligado a um de seus partidos aliados, cujo um de seus representantes é o abestado responsável pela frase acima. A corrupção, a impunidade, o descaso com a coisa pública, e o desrespeito com o cidadão brasileiro continuam, nada mudou, só piorou. De 2002 a 2011, foram desviados R$ 9 bilhões dos cofres públicos, dinheiro que daria para construir 400 mil casas populares, beneficiando 1 milhão de pessoas. Como sempre, quase ninguém foi punido e, quase nada foi recuperado: é a verdadeira farra do boi. Enquanto isso, grande parte do país e da sociedade permanecem abandonados. Vale frisar, no entanto, que o povo é o grande responsável por toda esta mazela, pois votam em corruptos, incompetentes e analfabetos, isto é, criam os monstros que depois acabam por devorá-los. Para completar toda a desgraça, o executivo e o legislativo são coniventes com a situação, o judiciário é patético - quanto a este, sem mais palavras. Em meio a tudo isso, o que resta então ao povo? Quase nada, a não ser recorrer aos botecos, onde assumem a postura de deprimentes, fracassados, incapazes e suicidas gradativos, que se autodestroem lentamente. Outros recorrem aos templos, onde se tornam alienados e explorados. Em meio a tudo isso, pensamentos de Karl Marx me vêm à mente: “É melhor um final terrível que um terror sem fim.”, “A religião é o ópio do povo.”
O governo por sua vez, está preocupado com a ameaça da inflação e, para isso, adota medidas preventivas, tão antigas, como andar para frente, como elevar a taxa de juros, restringir o crédito, taxar com mais impostos os cidadãos, entre outras medidas malignas. No entanto, é o governo o principal responsável por todo o desastre, com o mal-uso da verba, obras superfaturadas, desnecessárias e abandonadas, corrupção, super salários para políticos corruptos e incompetentes, entre outros.
Diante de todo este quadro lastimável, posso, com certeza, afirmar que este país, diga-se de passagem, esplêndido e maravilhoso, está inundado por inconsequentes, que sem sombra de dúvida, representam 75% do total da sociedade.
Quem não sabe identificar quem o maltrata, o explora, o ignora só pode receber uma única classificação. Quem rouba o dinheiro público, vitimando pessoas a ficarem excluídas de educação, saúde, habitação, segurança, cultura, entre outros. Que tipo de classificação poderia receber essas pessoas...? Somente uma: sub-raça.
Para refletir:
Diálogo entre (Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV, extraído de Diálogos de Estado).
Colbert:
- Para encontrar dinheiro, há um momento em que enganar (o contribuiente) já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é que é possível continuar a gastar, quando já se está endividado até o pescoço...
Mazarino:
- Se é um simples mortal, claro está, quando se está coberto de dívidas, vai-se parar na prisão. Mas o Estado... o Estado, esse é diferente! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se... Todos os Estados o fazem!
Colbert:
- Ah! Sim? O senhor acha isso mesmo? Contudo, precisamos de dinheiro. E como é que havemos de o obter se já criamos todos os impostos imagináveis?
Mazarino:
- Criam-se outros.
Colbert:
- Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.
Mazarino:
- Sim, é possível.
Colbert:
- É, então, os ricos?
Mazarino:
- Os ricos também não. Eles não gastariam mais. Um rico que gasta faz viver centenas de pobres.
Colbert:
- Então, como havemos de fazer?
Mazarino:
- Colbert! Tu pensas como um queijo, como um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de gente situada entre os ricos e os pobres: os que trabalham sonhando em vir a enriquecer e temendo ficarem pobres. É a esses que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Esses, quanto mais lhes tirarmos, mais eles trabalharão para compensarem o que lhes tiramos. É um reservatório inesgotável!

Lobo em pele de cordeiro
Mais uma vez, o “patriota e nacionalista”, na verdade, o golpista Abílio Diniz, tentou mais uma das suas contra a nação brasileira.



Em 1987, ele boicotou o Plano Cruzado, escondendo e estocando produtos, com o objetivo de forçar aumentos em seus respectivos valores, por meio da cobrança do “ágio.”, levando ao desabastecimento e ao fracasso do Plano Cruzado. Vale lembrar que ele não agiu sozinho, outros “patriotas e nacionalistas”, como Antônio Ermírio de Moraes agiram por igual. Também vale lembrar que o meliante chegou a passar alguns dias na prisão, sob a acusação de crime contra a economia popular, mas como todo o bandido rico e poderoso deste país, logo voltou às ruas, para que pudesse praticar novos desmandos.

Em 1989, após a descoberta, por parte da Polícia Federal, do cativeiro onde ele se encontrava, já há seis dias sob sequestro, ele aparece sem marcas de ferimentos, no entanto, vestia uma camiseta do Partido dos Trabalhadores (PT) toda ensanguentada: tal episódio visava associar o PT ao sequestro, pois naquele momento, ocorriam eleições presidenciais no país, envolvendo Fernando Collor de Mello e Luiz Inácio Lula da Silva – na época, o PT representava uma ameaça para a elite brasileira. Velhos tempos!
Recentemente, este "Sr.", tentou mais uma das suas contra a nação brasileira. Desta vez, tentou obter junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) um mega empréstimo de R$ 4 bilhões para a compra do Carrefour, alegando que isso levaria a uma maior exportação de produtos brasileiros para a rede Carrefour no exterior. Cara de pau! De pessoas bondosas como ele o inferno está transbordando.
O Sr Abílio Diniz, por um tempo, adotou o slogan “orgulho de ser brasileiro” nos Supermercados Extra, quanto a isso, tenho a dizer que o Brasil dispensa esse tipo de demagogia e de falso nacionalismo. Felizmente desta vez sua tentativa de golpe fracassou.
Para refletir:
"O patriotismo é o último refúgio de um canalha."
Samuel Johnson


O INIMIGO NÚMERO UM DO BRASIL
O político José Sarney pode ser considerado, sem sombras de dúvidas, o inimigo número um do Brasil.
Como se não bastassem sua desonestidade e seu mau-caratismo, este senhor ainda colocou no mundo, e infelizmente neste país, uma prole de seguidores, seus filhos, que agem moralmente e eticamente como o patriarca: tal pai, tais filhos.

A família Sarney é campeã em denúncias de corrupção e de mal-uso do dinheiro público. Enquanto acumulam uma fortuna de milhões de reais, oriunda de origem ilegal e duvidosa, o estado do Maranhão registra o segundo pior Índice de Desenvolvimento Humano do País, atrás apenas do estado de Alagoas, de Fernando Collor de Mello e Renan Calheiros. A taxa de mortalidade infantil é de 46,4 por mil crianças nascidas, atrás apenas do estado de Alagoas. O índice de analfabetismo é de 14%. A população total do estado é de 6.574.789 milhões (2010), sendo que 25% desse total é de miseráveis, ou seja, ¼ do total da população.

Segundo a própria família, muitas dessas acusações já foram esclarecidas pela justiça, como que se neste país houvesse justiça. Se há, é para defender marginais, corruptos e foras da lei.

Roseana Sarney foi obrigada a desistir de concorrer à presidência do país em 2002, devido às denúncias de corrupção e sonegação fiscal.

Esta "Sra." já passou por dezenas de cirurgias, e ainda vive, dando um claro sinal do quanto é maléfica, pois é rejeitado tanto por Deus como pelo diabo. Também não pode engravidar, talvez por força divina, para que não deixe resquícios maléficos neste mundo quando partir.

Certa vez, foi apresentada uma reportagem sobre a situação de crianças no interior do Maranhão, que para chegarem à escola tinham que atravessar um rio. Sem barcos para atravessá-las, as crianças eram obrigadas a tirar suas roupas e calçados para que não os molhassem durante a travessia: era humilhante ver uma menininha de 9 anos, só de calcinha, com mais da metade do corpo submerso, com os braços para cima segurando suas roupas, calçados e material escolar. Tudo o que aconteceu e que vir a acontecer de ruim a esta família, por pior que venha a ser, será pouco.

Às vezes assisto às sessões do Senado, cujo presidente é José Sarney, entre outras observações, verifico que Sarney já não consegue manter suas mãos suspensas de tão trêmulas, e isso me deixa feliz: penso que tudo é apenas uma questão de tempo.

Enquanto vive, a família Sarney somente ocupa espaço, acumula poder e dinheiro, enquanto que o estado do Maranhão mergulha na miséria, na falência e no abandono.

Além do controle político que exerce sobre o Maranhão, a família Sarney também controla os meios de comunicação no estado. Coisas que a rádio e a TV local não mostram, mas encobertam, outras emissoras mostram para todo o país, tais como escolas abandonadas, hospitais sem as mínimas condições de atender dignamente o povo, delegacias abandonadas, como nos filmes de faroeste, em que o xerife foi morto ou abandonou a cidade.

Fiquei enojado em ver a presença de Sarney na cerimônia de beatificação de Irmã Dulce, foi como ver o diabo invadindo o paraíso.

O que falta para que o Deus do Velho Testamento, aquele vingativo e punitivo, que castigou a humanidade da época com o dilúvio, que destruiu Sodoma e Gomorra exerça seu poder e varra esta família da face da Terra.



Para refletir:



Apesar de você



Hoje você é quem manda

Falou, tá falado

Não tem discussão, não

A minha gente hoje anda

Falando de lado e olhando pro chão

Viu?

Você que inventou esse Estado

Inventou de inventar

Toda escuridão

....

Você que inventou a tristeza

Ora tenha a fineza

De "desinventar"

Você vai pagar, e é dobrado

Cada lágrima rolada

Nesse meu penar

...

Apesar de você

Amanhã há de ser outro dia

Você vai se dar mal, etc e tal



Apesar de Você - Chico buarque


DESOBEDIÊNCIA CIVIL PARA O BEM DO BRASIL
A sociedade como um todo, trabalhadores, empresários decentes, policiais não adestrados, intelectuais, donas de casa, estudantes, entre outros, deve dar um basta na corrupção e no desmando, que há muito tempo estão na ordem do dia neste país.
Já que o executivo, o legislativo e o judiciário quase nada fazem, cabe ao povo fazer. Estes, na maioria das vezes, ou são coniventes, ou são omissos com os fatos.
Vamos juntos colocar os corruptos para fora do poder, confiscar seus bens e devolvê-los aos cofres públicos para que sejam investidos em hospitais, escolas, segurança e infraestrutura.
Vamos extirpar os corruptos e a corrupção do país, colocar os corruptos na cadeia. Vamos fazer com que a corrupção se torne um crime hediondo e inafiançável, pois enquanto um grupelho rouba, a maioria fica sem educação, sem saúde, sem segurança, sem habitação, entre outros.
Vamos mirar no exemplo da Primavera Árabe, vamos juntos liderar a Revolução da Moralização, para que tenhamos um país justo, com menos desigualdade e mais justiça social.
O povo não precisa de esmolas, como o Bolsa Família, mas de educação, saúde, moradia, segurança e dignidade.
A sociedade como um todo deve recusar-se a pagar impostos, até que os corruptos sejam punidos, e o que roubaram sejam retornados aos cofres públicos.
Contra a vontade, a determinação e a força do povo não há poderosos políticos nem tanques que o vença.
Este país só vai mudar quando o povo assumir as rédeas da situação, mas para isso, é preciso que o povo tenha coragem para enfrentar os poderosos, que deixe de ser fantoche, que deixe de ser mero telespectador dos fatos, e deles se torne sujeito ativo. É preciso que o povo deixe de votar em corruptos, em palhaços e oportunistas.
Além dos corruptos, é preciso excluir da vida pública aqueles que legislam em causa própria para obter vantagens e benefícios.
É imoral, inaceitável ver um político vagabundo aposentado após quatro anos do exercício do cargo de governador. Enquanto isso, médicos, professores, enfermeiras, faxineiras, entre outros, enfrentam vários turnos de trabalho para conseguir viver dignamente.
Aposentados retornam à ativa para complementar a parca aposentadoria que recebem.
Quando um vagabundo de um político é questionado sobre o seu ganho surreal, ainda toma o gravador do jornalista e ameaça agredi-lo. Esse tipo de atitude mostra que além de imoral, também é um marginal: é o mesmo que ver um bandido roubando, um traficante traficando e ter que calar-se, pois do contrário....
Outro fez uso do cargo de senador para beneficiar empreiteira, para que esta mantivesse sua vida extra conjugal, sustentando sua amante e sua filha bastarda. Enquanto isso, o estado de onde foi eleito amarga o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país.
Políticos safados e injustos classificam trabalhadores como vagabundos, como fez Kassab em São Paulo, ou classificam bombeiros como vândalos, como fez Sérgio Cabral no Rio de Janeiro. Analisando conscientemente, quem é na verdade o vagabundo e o vândalo? Com certeza chegaremos à conclusão se tratar do autor da ofensa.
Quando o povo protesta contra a corrupção, como aconteceu recentemente no município de Barueri, em São Paulo, o prefeito tenta impedir a manifestação, cercando ruas com policiais metropolitanos e guardas de trânsito. Esses funcionários deveriam saber que também estão sendo roubados, assim como o povo e seus familiares. Pena que a maioria desses funcionários passaram por um processo de adestramento, e com isso, perderam a noção do que é certo ou errado, justo ou injusto.
Brasileiros, o presente e o futuro da nação estão em nossas mãos!
Cada palmo deste chão nos pertence, portanto cabe a cada um de nós preservá-lo, protegê-lo e torná-lo mais justo para todos. Cabe a cada um de nós elegermos pessoas responsáveis, dignas e compromissadas com a verdade e com a justiça para governá-lo, protegê-lo e preservá-lo.
Nenhum país do mundo é tão magnífico, tão rico, tão diversificado como o nosso. Sendo assim, não podemos legar a uma minoria, o destino do nosso povo, dos nossos rios, da nossa flora, da nossa fauna, do nosso ar, a não ser que esta minoria seja capaz de administrá-lo de acordo com os interesses da maioria, de acordo com as necessidades de cada ser vivo, seja ele animal ou vegetal.
Para refletir:
Na natureza encontramos quase tudo
Para a nossa sobrevivência.
Temos quase todos os tipos climáticos
Necessários para a nossa existência.

Somos ricos e fortes por natureza
Nossa mãe Pátria nos sorri a cada amanhecer
Mas com um sorriso de alguém que tem algo para nos dizer
Como uma mãe que vê o sofrimento de seus filhos
Sem nada poder fazer.

Mas ela espera que eles venham um dia a fazer
Que ponham para guiá-la e guiá-los, protegê-la e protegê-los
Alguém que realmente os ame
Que mesmo se achando seu único(a) filho(a), não o será

Será apenas mais um entre os demais
E ela espera ser compartilhada entre todos.
Este será apenas um(a) filho(a) como todos os demais
E que este filho venha a olhar com amor e carinho para o todo
Proporcionando-lhes paz, liberdade, igualdade e dignidade
Porque dentro do seu coração há lugar para todos
E ela espera ser compartilhada.

Pátria amada Brasil,
Cansada de ser simplesmente cantada
Tudo o que realmente espera
É um dia ser amada e melhor compartilhada.
Francisco Carlos Aragon

Dignidade
Homem gordo olhando para a lâmina de aço
Homem magro olhando para sua última refeição
Homens encovados olhando um campo de algodão
Por dignidade

O sábio olhando para a grama
O jovem olhando as sombras que passam
O homem pobre olhando através do vidro pintado
Por dignidade

Alguém foi morto na véspera do ano novo
Alguém disse que dignidade foi a primeira a sair
Eu fui à cidade
Entrei na cidade
Fui até a terra do sol da meia-noite

Procurando aqui
Procurando ali
Procurando em todo lugar
Perguntando aos guardas
Você viu a dignidade?

Homens cegos saem do transe
Põem as mãos nos bolsos da sorte
Esperando achar uma situação
De dignidade

Fui ao casamento de Mary-Lou
Ela disse que não queria que a vissem falando comigo
Disse que podia ser morta se me contasse o que sabe
Sobre dignidade

Eu desci onde os abutres se alimentam
Eu teria ido mais abaixo, mas não foi preciso
Ouvi a língua dos anjos e a língua dos homens
Não fez diferença para mim

O vento frio corta como uma lâmina
Casa em fogo
Dívidas não pagas
Vou ficar na janela e perguntar para a jovem
Você viu a dignidade?

Bêbados ouvindo vozes
Numa sala cheia coberta por espelhos
Olhando para os anos esquecidos
Por dignidade

Encontrei o príncipe Phillip na casa do Blues
Disse que me daria a informação se não usasse o seu nome
Queria dinheiro na frente, disse que foi abusado
Pela dignidade

Pegadas na areia prateada
Passos indo à Terra da Tatuagem
Vi filhos da escuridão e filhos da luz
Nas fronteiras do desespero

Não tinha para onde ir
Não tinham casaco
Sou um rio correndo contra o barco à deriva
Tentando ler uma carta que alguém escreveu
Sobre dignidade

Homens doentes procurando pela cura
Olhando para suas mãos para ver as linhas nelas
E em cada obra-prima da literatura
Procurando por dignidade

Ingleses ficam desamparados frente ao vento implacável
Leva seu cabelo para trás seu futuro parece rarefeito
Aceita o preço e procura
Por dignidade

Alguém me mostrou uma foto e eu ri
A dignidade nunca foi fotografada
Entrei no vermelho
Entrei na escuridão
E no vale dos espíritos

Tantos caminhos
Tantas coisas em jogo
Tantos lugares sem saída
Estou na beira do lago
Às vezes penso o que vai fazer com que encontre a dignidade.
Dignity - Bob Dylan

"Sob os maus governos, essa igualdade é apenas aparente e ilusória: não serve senão para manter o pobre em sua miséria, e o rico em sua usurpação. Na realidade, as leis são sempre úteis aos que possuem bens, e prejudiciais aos que nada têm: de onde se conclui que o estado social não é benéfico aos homens, enquanto não tiveram todos alguma coisa, e nenhum deles o tenha em excesso."
Jean-Jacques Rousseau

"Os homens que combatem e morrem pela Itália têm o ar, a luz e mais nada (...). Lutam e perecem para sustentar a riqueza e o luxo de outro, mas embora sejam chamados senhores do mundo, não têm um único torrão de terra que seja seu."
Tibério Graco

E DEU NO QUE DEU
Em 24 de outubro de 2006 foi criado o Partido da República (PR), na verdade, o Partido dos Ridículos. O PR nasceu das cinzas do Partido Liberal (PL), infestado de um bando de corruptos, que entre outros escândalos, estavam envolvidos no esquema do mensalão. Diante da crise política, seus integrantes resolveram criar um novo partido, na verdade mudar seu nome, e permanecer com as mesmas varejeiras. Entre as varejeiras nojentas do partido, estava Valdemar da Costa Neto, uma das principais escórias do Brasil, que mesmo fora da política, é um dos principais envolvidos no esquema de corrupção no Ministério dos Transportes.

Atualmente, o PR conta com 41 deputados no Congresso Nacional e 4 senadores. Por ser um partido da base aliada do governo Lula e do governo Dilma Rousseff, o PR foi agraciado com o comando do Ministério dos Transportes: deu no que deu.

Para que um partido seja criado, são necessárias aproximadamente 500 mil assinaturas, então eu pergunto: quem foram esses milhares de imbecis, inconsequentes, imorais, acéfafos, entre tantos outros adjetivos merecíveis que deram suas assinaturas, isto é, se milhares de assinaturas também não foram forjadas, para que um partido medíocre como este fosse criado?
Nunca vou me cansar de dizer que o governo de um país é reflexo do seu povo. No nosso, uma sub-raça vota, enquanto outra é eleita. São justamente estes, que diante de um escândalo de corrupção, como o que ocorre no atual Ministério dos Transportes, ainda dizem que é assim mesmo, que todo político é corrupto e que o Brasil é uma “merda”. Quanto a isso, tenho a dizer que nem todo o político é corrupto, há políticos honestos e decentes, mas são invisíveis aos olhos dos ignorantes e medíocres mentalmente. O Brasil é um país maravilhoso, muito longe de ser uma “merda, mas infelizmente ocupado e infestado por um número incalculável de “merdas”, que só atrapalham, ocupam espaço e consomem o pouco ar saudável que ainda nos resta.
Quando um partido medíocre como o PR precisa de um puxador de votos, quem é escolhido? Tiririca. Qual o seu slogan? “Pior que tá não fica.” Ficou. Qual seu apelo para conquistar o eleitor? “Vote no abestado.” E conseguiu, porque sabia que haveria um grande número de abestados que o ouviriam. Quem vota num abestado? Outro abestado, mas ninguém, nem ele mesmo, acreditava que eram milhões. Pergunto eu? – O que esses abestados têm a reclamar?
A exemplo do PR, outro partido está em curso, trata-se do Partido Social Democrata, de iniciativa de Gilberto Kassab. Já vi muitas fichas de assinaturas para a criação do partido circulando pelo estado, levadas e espalhadas por oportunistas e, assinadas por inconsequentes, que as assinam mecanicamente e aleatoriamente,sem se darem conta da erva-daninha que estão plantando.
Como miséria pouca é besteira, também está em curso a criação do Partido Militar Brasileiro (PMB). Só falta o "povo" também ressuscitar esta outra miséria há muito adormecida.

Deu$
O comércio de drogas, armas e animais silvestres são os mais lucrativos no mundo atual. No entanto, existe uma mercadoria que supera todas as anteriores em lucratividade: esta mercadoria é Deus. Digo mercadoria, pois da forma como o nome de Deus é utilizado nos dias de hoje, ele não representa nada mais que uma mercadoria, para aquela maioria que sobrevive de pregar seu nome em vão, visando tão somente o poder e o enriquecimento pessoal.
Para grande parte dos fariseus oportunistas, que usam seu nome de acordo com seus interesses, Deus é apresentado como o caminho para a salvação, dos ignorantes que ganharão a vida eterna, e dos oportunistas que terão uma vida mais confortável aqui mesmo na terra.Desde o momento em que Deus foi criado, ele se tornou em motivo de disputas, rivalidades, fanatismos, intolerâncias, guerras, mortes, torturas, punições, penitências, exploração, entre tantas outras desgraças.
Na Idade Média, Deus foi motivo de guerras entre cristãos e muçulmanos, nas chamadas cruzadas. Também foi usado para dominar e explorar uma sociedade extremamente estratificada. Nesta, cabia a Igreja cuidar das almas, recebendo dízimos, originários da exploração e

da miséria dos servos, que segundo a Igreja viviam naquela situação devido a vontade de Deus. Os servos, segundo a Igreja, vieram ao mundo para servir, pois esta era a vontade de Deus, portanto, deveriam aceitar pacificamente a vida miserável que viviam, pois se opor a ela, seria o mesmo que contrariar a vontade de Deus: “É mais provável um camelo entrar pelo buraco de uma agulha, que um rico entrar no reino do céu.” Quanta idiotice! Enquanto isso, os ricos continuavam a continuam a enriquecer com o trabalho dos miseráveis. “Coitado, morreu, descansou.” Na Idade Média, o pobre servo somente tinha direito ao descanso quando morria, enquanto vivo, deveria trabalhar, servir e pagar impostos. Em países como o Brasil, a Idade Média parece não ter passado, embora nossa existência tivesse se iniciado após o seu fim na Europa. Ainda na Idade Média, a Igreja Católica julgava, condenava e matava os ditos infiéis, principalmente aqueles que contestavam os dogmas da fé cristã: o destino dos infiéis era determinado nos tribunais da santa inquisição. Tudo isso em nome de Deus, ou melhor, em nome dos interesses da Igreja Católica, cujo objetivo era manter sua supremacia política, econômica, social e cultural sobre o mundo da época.
Em seguida vieram os oportunistas protestantes: Martinho Lutero, João Calvino e Henrique VIII. O primeiro traduziu a Bíblia para o alemão, com o objetivo de acabar com o poder dos padres sobre os fiéis. Combateu a infalibilidade do Papa, os dogmas católicos e a cobrança das indulgências. Ao combater as indulgências, Lutero se fortalece na Alemanha, pois muitos príncipes endividados com a Igreja de Roma, aderiram ao luteranismo como forma de se livrarem do pagamento das indulgências (pagamento feito para obter o perdão de Deus). O segundo, defendeu o lucro e o comércio, práticas estas combatidas pela Igreja Católica, classificadas como usura. Ao defender tais práticas, Calvino atraiu um grande número de seguidores, principalmente comerciantes, que viam na nova doutrina a possibilidade do enriquecimento, sem constrangimento e sem perseguição. Calvino também defendeu o trabalho como forma de ascensão social, não pensando nos pobres, mas nos ricos, pois o acúmulo de riquezas por parte dos ricos vem do trabalho dos pobres: quando mais os pobres trabalham, os ricos ficam cada vez mais ricos. O terceiro, ao assumir o poder sobre a Igreja Católica, na Inglaterra, anulou o poder do Papa em seu território. Tudo isso porque o Papa havia se negado a anular seu casamento com Catarina de Aragão,da Espanha, para que ele ficasse livre para se casar com Ana Bolena, da Escócia. O rei fanfarrão estava acostumado a tirar todas as riquezas de suas esposas e depois abandoná-las, quando não eram decapitadas. Ao criar a Igreja Anglicana, Henrique VIII passa também a concentrar o poder religioso, assumindo o controle de todos os bens que a Igreja Católica possuía na Inglaterra. Pasmem, mas segundo seus idealizadores, tudo isso foi feiro em nome de Deus.
Com o avanço da globalização no início da década de 1990, em especial após o Consenso de Washington, houve uma grande proliferação de “igrejas” pelo mundo. No Brasil, elas passaram a se aproximar ao número de botecos: em cada bairro, em cada esquina surge uma nova a cada dia.
A globalização revolucionou ainda mais o modo de produção, novas tecnologias foram implantadas, substituindo ainda mais o trabalho das mãos pelas máquinas. Com isso, muitos trabalhadores perderam seus empregos. Essa massa de desempregados e desesperados partiram para outras atividades (abriram botecos, ingressaram em atividades informais, entre outros). Outros caíram no vício, ou se entregaram às promessas de pastores, bispos e padres oportunistas, que dizem: doe R$ 1 e ganhe R$ 100,00; ou, traga sua carteira de trabalho para que ela seja benzida e abençoada. Tudo isso veio a fortalecer ainda mais a relação entre religião e capitalismo, beneficiando patrões e todos os demais tipos de oportunistas, especialmente “religiosos.”
Neste contexto, vale ressaltar também a proliferação das faculdades pelo País, na verdade, fábricas de diplomas que não servem para nada: com o avanço da globalização e o aumento da competitividade, muitos passaram a acreditar que um simples diploma seria a solução para os seus problemas. Hoje, muitas faculdades funcionam como verdadeiras fábricas de diplomas, sem nenhuma qualidade. Os bons professores não são mais valorizados, pois o objetivo é tão somente o lucro: de um lado esta o aluno, querendo um diploma, do outro, o dono da faculdade visando o lucro, nesta relação, o bom professor somente atrapalharia o negócio querendo oferecer qualidade naquilo que se propôs a fazer.
Com isso, quero mostrar as relações de oportunismos existentes no mundo atual. De nada importa a qualidade, a honestidade, a dignidade, o caráter, o que realmente importa é o lucro e a prosperidade econômica, não importa como fazer para obtê-los. Daí o grande número de exploradores da fé, do desespero e da ignorância humana.
Além da exploração material, também temos os padres pedófilos que fazem uso da batina para abusar sexualmente de seres humanos.
Às vezes gostaria de ter o poder de um raio para que num único triz poder limpar toda essa sujeira deste mundo sem deixar resquícios.
Caso Deus exista, é muito mais provável a um ateu conseguir a salvação, que um explorador da fé, que usa seu nome em vão em benefício próprio e de forma inescrupulosa, fazendo uso da fé, da ignorância e do desespero das pessoas.

Para refletir:

“A religião é o ópio do povo."
Karl Marx

Ao invés de Deus ter criado o homem sua imagem e semelhança, foi na verdade o homem o criador de Deus, para usá-lo como instrumento de dominação e poder.
Francisco Carlos Aragon

O burguês toma o dinheiro do proletariado,


O dinheiro é o deus deste mundo,
e deste modo faz dele um ateu."
Friedich Engels
Meu Deus é a minha consciência e meus atos a minha religião.
Francisco Carlos Aragon.

Pastor João e a Igreja Invisível
Não sei se é o céu ou o inferno
Qual dos dois você vai ter de encarar
E foi pra não lhe deixar no horror
Que eu vim para lhe acalmar

Se o pecado anda sempre ao seu lado
E o demônio vive a lhe tentar
Chegou a luz no fim do seu túnel minha filha
O meu cajado vai lhe purificar

Pois eu transformo água em vinho, chão em céu, pau em pedra cuspe em mel
Pra mim não existe impossível
Pastor João e a igreja invisível

Para os pobres e os desesperados
E todas as almas sem lar
Vendo barato a minha nova água benta
Três prestações qualquer um pode pagar

O sucesso da minha existência
está ligado ao exercício da fé
Pois se ela remove montanhas
Também traz grana e um monte de mulher

Pois eu transformo água em vinho, chão em céu, pau em pedra cuspe em mel
Pra mim não existe impossível
Pastor João e a igreja invisível
Raul Seixas e Marcelo Nova

Ou dá ou desce
Hei escuta aqui você aí
Meu senhor que está sentado do outro lado da TV
Eu vim aqui fazer minha prestação de contas pra você
Eu me dirijo à todo o povo brasileiro
Eu sou pastor por vocação
Me chamo bispo isso mesmo eu vivo é disso
Essa é a minha profissão

Tenho cadeia de hotéis no Hawai
Fazenda no Texas
Um sítio em Parati
O gado é de primeira, muito bom
Automóveis do ano
Cobertura no Leblon
Triplex na Vieira Souto
Uma casa de praia na orla do Guarujá
Para investir e garantir meu capital
Eu tenho na Bahia uma fazenda de cacau

Eu tenho poço de petróleo no Iraque
De araque caro irmão
Eu tenho igreja de montão
Frequento a bolsa de valores de São paulo e Nova Iorque
Eu tenho rede de jornal, rádio e televisão
Tenho uma verba aplicada na Europa e na América
que é melhor deixar por lá
Pra encerrar este triste meu calvário
Já que não tem mais jeito
eu vou falar do meu salário
O meu salário não é feito de tostões e de mil réis
Eu vivo da bondade e das doações dos meus fiéis

Obrigado irmãos
Obrigado
Ou dá ou desce!
Aleluia!
Zé Geraldo

"Deus é um conceito
Pelo qual medimos
Nossa dor."
John Lennon

Foot of Pride (Bater o pé)
...
Bem, eles escolherão um homem para você esta noite
Você fará papel de boba e aprenderá a passar pelas portas
Como entrar pelos portões do paraíso
Não como carregar uma preocupação muito pesada para ser sua
Sim, do palco tentarão arrancar água de pedra
Uma prostituta passará o chapéu, recolherá 100 mil dólares e agradecerá
Eles gostam de receber todo esse dinheiro do pecado e construir grandes universidades
Cantam "Amazing Grace" durante todo o percurso até o banco suíço
...
Bob Dylan

Simplesmente um pretexto
É comum assistirmos a debates de “especialistas”, políticos, empresários, entre outros, discutindo os problemas da educação no Brasil.
Os “especialistas” que discutem o tema, em sua maioria nunca entraram numa sala de aula, desconhecem o dia a dia da realidade vivida pela maioria dos professores, não só da rede pública como também das escolas particulares.
Os políticos somente lembram da educação em época de eleição, de forma demagógica e mentirosa, pois uma melhoria na educação excluiria a maioria dos políticos da vida política.
O empresariado brasileiro é medíocre, pois quer mão de obra qualificada a preço de banana durante o período de super safra. A mediocridade da classe empresarial brasileira é tão medonha que eles pagam milhões por uma palestra do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que com os mais de seus sessenta anos ainda não aprendeu a diferença entre um rio e um oceano, que não sabe quais são países sul-americanos que fazem fronteira com o Brasil, entre outros absurdos.
Do jeito que o tema educação é mencionado e debatido, dando ênfase ao despreparo de grande parte dos professores, como que somente estes fossem os despreparados profissionalmente neste país é absurdo, pois em todas as profissões temos os preparados e os despreparados, os competentes e os incompetentes, os que levam a sério o que fazem e os que fazem simplesmente por fazer. Temos médicos competentes, assim como temos os médicos assassinos. Temos advogados, juízes, promotores, desembargadores e ministros do Supremo competentes e incompetentes. Prova disso é o desempenho dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que tomam decisões, na maioria das vezes absurdas, como a criação da Reserva Raposa Serra do Sol, que expulsou os rizicultores de uma enorme área do estado de Roraima, deixando suas fronteiras desprotegidas e o povo na miséria, tanto os que ali permaneceram com os que dali tiveram que sair. Que deram o direito de habeas corpus ao médico tarado, Roger Abdelmassih, hoje foragido da justiça. Que derrubaram a tese de crime doloso para motoristas embriagados que matam. Acho que o STF também deveria liberar a venda de bebidas alcoólicas nas eleições. Quem sabe assim o povo votasse mais consciente? Muitos motoristas alegam que dirigem melhor quando ingerem bebida alcoólica. Que tal? Partindo da tese do vale quanto pesa, quanto mereceria ganhar um ministro do STF? Partindo da mesma tese, quanto deveria ganhar um bom professor e um bom médico? Certamente os ganhos deveriam ser invertidos.
Vejo os constantes debates sobre a qualidade do ensino no Brasil como uma forma de justificar os baixos salários pagos aos professores, tanto pelos governantes como pelos donos de escolas particulares. Os primeiros usam a educação como propaganda demagógica em época de eleição, o segundo é na verdade um empresário, que viu na falência do Estado uma forma de ganhar dinheiro com a educação, fazendo de conta que oferece ensino de boa qualidade, salvo as escolas de primeira linha.
Vale lembrar, que assim como no campo do direito, que muitos absurdos vêm da Suprema Corte (STF), na educação também é assim, como por exemplo a aprovação automática e a progressiva. No caso da educação os absurdos são aprovados pelo MEC e pelas secretarias estaduais de educação.

EXTREMOS
No Japão, alunos e professores saem em visitas para admirar árvores e plantas. A partir de março, com a chegada da primavera, ocorre o florescimento do sakura, como são conhecidas as cerejeiras no país. A população usa grande parte do tempo livre para admirá-las e contemplá-las.
Nos meses de inverno, funcionários públicos e a população costumam proteger com panos caules e galhos das árvores contra os efeitos do frio intenso. As árvores velhas, em vez de cortadas, são ancoradas, para que vivam o mais tempo possível. A paixão e o respeito dos japoneses com a natureza, faz do país um dos mais arborizados do mundo. Nele, qualquer espaço pode abrigar uma árvore, uma planta ou um lago com carpas coloridas.
O povo japonês encontrou e devolveu à polícia cerca de 125 milhões de reais encontrados em locais onde ocorreu a tsunami, parte da devolução foi em dinheiro e, parte em barras de ouro.
O governo de Fukushima devolveu cerca de 180 milhões para a Cruz Vermelha. O dinheiro havia sido enviado para auxiliar as vítimas do terremoto e da tsunami. Inicialmente, o governo havia feito uma previsão de vítimas e de destruições causadas pela tragédia, mas com o tempo percebeu que o número de vítimas e de destruições foi menor que o previsto inicialmente.
O primeiro-ministro do Japão, Naoko Kan renunciou ao cargo e, em seu discurso pediu desculpas ao povo japonês, entre outras coisas por não ter sido eficiente em dar uma resposta imediata ao povo, principalmente em relação a Usina Nuclear de Fukushima, que foi duramente danificada pela tragédia.
Uma rodovia em Naka, na província de Ibaraki, foi reconstruída em apenas seis dias. Esta rodovia teve um trecho de 150 metros profundamente danificado pela ação do forte terremoto.
O aeroporto de Sendai, que foi duramente castigado tanto pelo terremoto, como pela tsunami, sendo alagado e tendo parte da construção destruída, foi rapidamente recuperado: bastaram apenas 41 dias para que as aeronaves pudessem dali decolar e pousar novamente.
Nas provinciais e cidades da costa nordeste do Japão afetadas duramente pelo terremoto e pela tsunami, era comum ver casas abandonadas, carros novos abandonados e tombados, barcos, lanchas e iates trazidos a terra pela força da tsunami abandonados e virados, mas em nenhum momento foi visto saques, violência, atos de vandalismo, entre outros.
No Brasil as crianças saem da escola chutando as árvores. Adultos fazem fogueiras junto aos pés das árvores, latifundiários (agricultores, pecuaristas e madeireiros) destroem a floresta, para que possam engordar e contemplar suas contas bancárias. Enquanto o novo código florestal e discutido, eles aproveitam para desmatar mais.
As verbas enviadas pelo governo federal para auxiliar vítimas de tragédias, a exemplo da região serrana do Rio de Janeiro são desviadas, apropriadas por corruptos, injustos, malfeitores, facínoras...
Verbas enviadas para a merenda escolar são apropriadas por delinquentes, injustos, corruptos, que não sabem a dor da fome para os que a sentem e para os que de perto a presenciam e nada podem fazer, mesmo que esta afete o fruto do seu ventre.
Donativos enviados pela população são desviados e apropriados por aqueles que deveriam distribuílos aos necessitados. Até mesmo a água, o bem mais sagrado deste planeta, é desviada para depois ser vendida a preços bem superiores.
Quando medidas “humanas” são adotadas pelo governo, seu real objetivo é outro, quase sempre visando apenas aumentar a arrecadação. Faixas de pedestres foram pintadas no estado de São Paulo, não para a proteção dos pedestres, mas para evitar recursos de infratores que alegarão que não a viram, pois estavam quase que apagadas. O mesmo não acontece com as lombadas, quase todas sem sinalização ou mal sinalizadas. As pontes não recuperadas, representando uma constante ameaça e perigo aos cidadãos. O controlar, que apenas fez aumentar a arrecadação do município. A poluição não diminui, mas pateticamente Kassab foi o anfitrião da C40.
O Brasil vai sediar a Copa do Mundo de Futebol (2014), os jogos olímpicos (2016) e ainda a Rio + 20 (2012). Quanto desperdício de dinheiro público, pior ainda, quando dinheiro será certamente desviado.
Aqui, político, empresário e banqueiro ladrão não temem a justiça, pois não têm nada a temer. As leis são feitas por bandidos para proteger bandidos, quem se preocupa em aplicá-las, deixa de fazer justiça. Quando descobertos, apenas riem da situação, pois sabem que nada acontecerá: não serão presos nem terão que devolver o produto do roubo.
Aqui, um político chora quando o país é escolhido para sediar a próxima Copa Mundial de Futebol. Enquanto isso, milhares de crianças passam fome e estão fora da escola. Milhares de seres humanos morrem esperando por internação e por um atendimento médico. É comum ouvirmos que o cidadão(ã) teria que ser atendido segundo determinação judicial, mas o governo local a descumpriu. Claro sinal de que a justiça não funciona neste país, a não ser para punir miseráveis.
O governador do estado do Rio de Janeiro chama de vândalos trabalhadores dignos que apenas reivindicam dignidade. Após a tomada da Rocinha, disse que ali residem trabalhadores dignos. Desta vez ele falou algo verdadeiro. Os trabalhadores dignos são punidos pelas autoridades com indignidade: estes são recompensados com baixos salários, ausência quase que total do mínimo de dignidade ( saúde, educação, moradia e segurança). Estes vivem quase que exclusivamente num regime de apartheid, restritos aos becos, vielas, mas as coisas estão evoluindo, a favela se tornou comunidade. Os morros finalmente estão sendo pacificados, afinal os eventos esportivos estão por chegar.
Apesar de todo descaso, o povo não aprende, ainda chora a morte e a doença de políticos, quando que na verdade deveriam encarar tais acontecimentos como uma limpeza pública.
Comecei este artigo falando do respeito à natureza, pois quem respeita, cultiva e contempla uma árvore, certamente respeitará o seu próximo – sua miséria será a sua própria miséria, sua fome será sentida como que se fosse a sua própria fome, sua humilhação será encarada como que se fosse a sua própria humilhação...
Para refletir:
Os tempos Estão Mudando
Venha pessoal
Por onde quer que andem
E admitam que as águas
À sua volta aumentaram
E aceitem que logo
Estarão cobertos até os ossos
Se seu tempo para você
Vale a pena ser poupado
Estão é melhor começar a nadar
Ou irá se afundar como uma pedra
Pois os tempos estão mudando
Venham escritores e críticos
Aqueles que profetizam com sua caneta
E mantenham seus olhos abertos
A chance não virá novamente
E não falem tão cedo
Pois a roda ainda está girando
E não há como dizer
Quem será nomeado
Pois o perdedor de agora
Mais tarde vencerá
Pois os tempos estão mudando
Venham senadores, congressistas
Por favor escutem o chamado
Não fiquem parados no vão da porta
Não congestionem o corredor
Pois aquele que se machuca
Será aquele que nos impediu
Há uma batalha lá fora
E está rugindo
E logo irá balançar suas janelas
E fazer ruir suas paredes
Pois os tempos estão mudando
Venham mães e pais
De toda a terra
E não critiquem
O que não podem entender
Seus filhos e filhas
Estão além de seu comando
Sua velha estrada
Está rapidamente envelhecendo
Por favor saiam da nova
Se não puderem dar uma mãozinha
Pois os tempos estão mudando
A linha foi traçada
A maldição foi lançada
E o lento agora
Será o rápido mais tarde
Assim como o presente agora
Será mais tarde o passado
A ordem está
Rapidamente se esvaindo
E o primeiro agora
Será o último depois
Pois os tempos estão mudando
Comentário
Esta letra, na verdade esta profecia de Bob Dylan, foi escrita em 1963, sendo lançada em 1964, no álbum de mesmo nome “The Times They Are A-Changin’.” Seu conteúdo será para sempre eterno e atual. Nos dias de hoje, está letra pode ser bem aplicada para os acontecimentos no norte da África e Oriente Médio, pois “os tempos estão mudando.”
O rascunho da letra The Times They Are A-Changin’, foi leiloado em 2010 por US$ 422,5 mil, o equivalente a R$ 700 mil.